Meu nome é Bruno Rodrigues, apaixonado por livros, por café, por uma boa conversa. Adoro estar entre amigos e fazer novos amigos.

Uma habilidade que tenho é criar conexão, desde quando era criança isso acontecia, unindo a galerinha da rua para jogar bola, organizando campeonatos e fazendo todos se sentirem importantes.

Filosofia, Espiritualidade, Psicologia são temas que desde cedo me interessei, quando percebi que olhar para dentro, era o principal caminho para uma vida mais realizada. Autoconhecimento, reforma íntima, conhece-te a ti mesmo, ideias fantásticas.

Pesquisar assuntos que envolviam este autodesenvolvimento tornou-se um hábito, desde leituras sobre antigas e atuais tradições filosóficas e religiosas, até chegar é claro na Psicologia.

 

 

Em 2004, aos 19 anos, trabalhava como técnico em eletrônica em uma grande empresa de cabos elétricos, que provavelmente iria pagar minha faculdade (ou parte) em Engenharia.

Foi quando conheci a Psicologia, primeiro participando de terapia em grupo com Del Mar Franco no Instituto Evoluir no Tatuapé em São Paulo — SP. Neste mesmo ano, faria um curso chamado ‘Psicologia Integral’, aberto a qualquer pessoa interessada no assunto, foi quando conheci Ken Wilber, sua teoria Integral e com ela um leque de possibilidades.

Fui apresentado neste curso a Psicologia Comportamental, Humanista, Gestalt, Psicanálise, todas me encantaram e em especial uma Psicologia Analítica.

O curso acontecia todas as quintas, quando saia da minha cidade, levava uma hora e meia entre trem e ônibus para chegar até o Instituto e aprender sobre Psicologia. Nessa época comprei e devorei algumas biografias sobre Carl Gustav Jung.

Um ano depois, em fevereiro de 2005, eu ingressava na Faculdade de Psicologia.

Um curso delicioso. Para minha tristeza, não tivemos 1 aula sequer sobre Jung, continuei assim minhas leituras por conta própria enquanto aprendia e aprofundava o estudo em outras abordagens.

Minha formatura aconteceu em 13 de março de 2010, um sábado, fui o orador da turma.

Dei entrada no CRP, na época trabalhava em um escritório como auxiliar administrativo e levei um ano para ter coragem de pedir demissão e começar a atender. Uma ou duas pessoas, que sabiam que eu já estava formado, pediam para serem atendidos, isso me motivou, pensei que seria fácil ter muitos pacientes. Engano.

Em janeiro de 2011 pedi demissão de um emprego, aliás, em uma boa conversa fui mandado embora, onde ganhava cerca de 2 mil reais por mês o que na época era muito para mim. Em fevereiro tirei férias, o mês todo, indo em museus, passeando. E em março de 2011 comecei os atendimentos.

Tive apenas 3 pacientes durante 6 meses. Não pagava nem meu aluguel. Fiz 1000 cartões de visita, espalhei e pensei que teria pacientes assim, não vieram.

Nessa época, quase sem dinheiro, voltei a Tatuapé, onde comecei a atender às quartas-feiras como voluntário, aprendi muito, conheci muita gente interessante.

Seis meses depois de ser mandado embora, o dinheiro do seguro acabou. Estava em um momento delicado, o que fazer?

Pensei em desistir da Psicologia. Chorei algumas vezes. Não tinha dinheiro para investir em mim. Para investir em cursos. Para fazer terapia ou supervisão. Nem para pagar o aluguel.

Tentei emprego de atendente de telemarketing para ganhar 500 reais por mês e não consegui. Nesse momento senti saudades do antigo emprego, que eu não gostava, mas que pagava as contas.

Foi aí que comecei a fazer e inventar algumas formas de divulgar meu trabalho. Provavelmente você conhece essa história, mas se não conhece, pode entrar no meu Canal do YouTube e ver alguns dos vídeos mais antigos onde conto cada detalhe.

As coisas foram melhorando. Usei a criatividade, passei a divulgar meu trabalho, as pessoas começaram a chegar.

De 2011 a 2014 muita coisa aconteceu. Passei a dar palestras gratuitas e remuneradas, criei workshops, até curso presencial sobre saúde emocional dei.

Aluguei salas por hora, depois uma sala pequena e depois uma grande sala e um lindo consultório.

Em novembro de 2013 foi a primeira vez que em um mês fiz 5 mil reais, era uma meta, que me deixou feliz demais. Mas no mês seguinte, em dezembro, alguns pacientes sumiram, foram tirar férias, você sabe bem como é.

Poucos meses depois, atingia 10 mil reais em um mês, o que na época era muito para mim.

As coisas estavam acontecendo.

Em 2014, cheguei a ter na semana, 40 pacientes particulares, 3 grupos de terapia, um deles só para homens (não deu muito certo) e outros dois mistos, maravilhosos.

Fazia palestras e cursos frequentemente e dava aulas de Psicologia, me tornei professor.

Ainda bem que não desisti.

Se você está curioso como consegui isso tudo, se você chegou aqui agora, acabou de me conhecer, convido mais uma vez, entra no Youtube e assista cada vídeo, dou muitas dicas, muitas ideias para você.

E em 2014, com o sucesso que buscava, resolvi dividir, compartilhar e ensinar para outros colegas de profissão o que dava certo para mim, foi quando nasceu o curso Online Marketing para Psicólogos.

E de lá para cá, muita coisa aconteceu! Sejam bem vindos por aqui!

Bruno Rodrigues
Psicólogo, CRP: 06/101971